Jovens: Comunicado importante!

04/09/2019
Jovens: Comunicado importante!

Qual será o limite nas interações humanas, antes de perceber a necessidade de jogar a rede para o outro lado o barco? O cerne do cristianismo é uma graça comunicante, a metáfora é irreverente e simplifica os conceitos: rede e comunicação deveriam estar lado a lado no dicionário, se fosse possível. Tudo que se vive – bons e maus hábitos – são ancorados contundentemente na comunicação, ou seja, ao passo que comunicou-se melhor ou pior ao longo da história deram-se insumos para produzir decisões importantíssimas para a humanidade, acelerar ou frear o desenvolvimento, disseminar ou drenar o conhecimento, e assim por diante. A atualidade é repleta de grandes oportunidades de viver em rede, apanhar os frutos que foram plantados há gerações, e enfim disseminar com celeridade o que a vida tem de melhor. Se o assunto é uma graça comunicante, e recentemente Sua Santidade – o Papa Francisco – chancelou que “tudo o que Deus toca se torna jovem”, este conteúdo quer fazer germinar essa semente: Juventude e Comunicação.
Os católicos não deveriam ter medo de abrir as portas da comunicação social à Cristo , de tal forma que a sua boa nova possa ser ouvida nos telhados do mundo! João Paulo II
O relatório Estado de Serviços Móveis, replicado pela Empresa Brasileira de Comunicação , no início de 2019, aponta que, na média mundial, as pessoas passam cerca de três horas por dia utilizando aplicativos móveis no celular, o Brasil supera essa marca chegando a ocupar o 5º lugar no globo. Há que destacar também que o protagonista desse comportamento é a juventude. Com toda essa interação, com um grande volume de trocas interpessoais, e uma circulação de dados em erupção, a “rede” deveria saciar – mais do que nunca – o coração do homem. Com acesso ao conhecimento, liberdade de comunicação e velocidade nas respostas, as inquietudes deveriam estar sanadas e os relacionamentos mais próximos. Será que a fluidez e atroz transformação digital são “noites inteiras sem peixes?”, será que o esforços das recentes décadas são um veneno para as novas gerações? O fato é que a grande ficha da comunicação é uma vocação – um chamado – de ser pescador de homens.
Jogando a rede para o outro lado do barco, os ventos do encontro, a maré da criatividade e a isca da inovação, dão à comunicação um “cardume” inteiro de possibilidades. A geração mais recente – somando millennials e geração Z -, tem em si um desimpedimento imediato ao posicionar-se, unir-se em causas das mais diversas, inconformar-se, rir de si mesma, tudo em uma malha de dados e informações que organizadas geram novos modelos de negócios, conexões desburocratizadas e grandes ganhos para a humanidade. O crescimento das start ups, os bancos digitais, o serviço público automatizado, são exemplos de como a juventude e o poder da comunicação transforaram a econômica e a rotina dos últimos anos. Nesse contexto, os impolvorosos jovens, com um potencial comunicante formidável, podem ainda mais apropriar-se da graça. Para tal, profissionalização e comunhão são obrigações graves à Igreja neste tempo, com a velocidade das mudanças e nas relações, a porta de uma vida transformada pode ser aberta em um celular, em um tablet, em um notebook, nas mãos de um jovem. A família, as empresas, os pobres, os migrantes, as minorias, encontram voz e respaldo, consolo e respostas porque também são alvo deste dom da comunicação, e isso é uma oportunidade maravilhosa para todas as gerações

Os jovens, com pouco tempo de pesca, ainda precisam navegar com o suporte de um experiente guia, o timoneiro “experiência” tem muito a contribuir na formação da comunicação. As mídias sociais exigem muito e em cada vez menos tempo, as relações correm o risco de tornarem-se cada vez menos verdadeiras, e mais perecíveis. Isso quer dizer, que enquanto jovens, há que impedir que o sentido, e a mensagem principal se percam no caminho ou sejam abalados por ventos contrários. Pio XXII recobrou, na vanguarda de seu tempo, a atualização da evangelização relembrando que a comunicação é um “dom de Deus”, e cabe arriscar que Sua Santidade complementaria, se vivesse os dias atuais, que o nas condições deste grande dom, o tempo também é uma criatura de Deus e cabe a cada dia, administrar com mais afinco, urgência, e seriedade a combinação do dom “comunicação” e a criatura “tempo”, eis um desafio para a juventude. Mais contato, e menos tempo isolando-se.

[1] https://www.comshalom.org/livro-sobre-evangelizacao-nas-redes-sociais-vira-serie-no-youtube/

[2] http://agenciabrasil.ebc.com.br/geral/noticia/2019-01/brasil-foi-5o-pais-em-ranking-de-uso-diario-de-celulares-no-mundo